Enrico de Paoli

EnricoEnrico De Paoli é engenheiro de música formado na Grove School of Music (Van Nuys, California – 1991) em Engenharia de Gravação e Música,  e no Musicians Institute of Technology (Hollywood, California – 1993) em Teclados e Programações.

Começou a carreira cedo nos Estados Unidos, onde gravou com artistas como Ray Charles (my world), Aaron Neville (the grand tour), e Alexander O’Neal (love makes no sense), entre outros. Trabalhou lado a lado com um dos maiores produtores fonográficos da história, Mr. Richard Perry (ex-president Warner Bros), que reune a maior coleção de hit-singles com artistas diferentes de todos os tempos, e com Steve Lindsey, que mantinha o studio de programação e produção com a maior coleção de synths de Los Angeles da época.

Ao retornar ao Brasil, gravou com o produtor Liminha discos como Cidade Negra (sobre todas as forças), e Daniela Mercury (música de rua). Ainda, no estúdio Nas Nuvens, onde manteve sua sala de Produção e Programação de Synths, no ano de 1994, gravou e programou Skank (calango),  Roberto e Erasmo (Rei – tributo), SongBook de Ary Barroso, entre outros…

Em 1995, mixou o primeiro CD da banda Jota Quest. Este projeto levou a banda ao conhecimento da gravadora Sony Music, que perpetuou o sucesso da mesma, inquestionavelmente.

Em 1996 gravou e mixou o CD Malasia, com o um dos mais elegantes e eternos nomes da música brasileira e universal: Djavan.  Após a gravação concluída, foi convidado a levar suas habilidades em mixagem para a Tournê Mundial Djavan Malasia, percorrendo todo o Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Estados Unidos, Canada, Inglaterra, França, Espanha, Portugal, Italia, Belgica e Holanda.

Apos vários discos e tournes com Djavan, no ano 2000, Enrico De Paoli recebeu o Prêmio de Audio “PA 2000” com a tourne “Djavan Ao Vivo” e em 2001 foi premiado pela Academy of the Recording Arts and Sciences com o GRAMMY AWARD pelo disco do baixista americano Marcus Miller, por uma gravação que fez com Djavan no album M2 (M Squared)

Em 2001, Enrico De Paoli residiu mais um ano na California, sendo representado pela maior agência de Engenheiros de Mixagem do mundo : a HitMixers (www.hitmixers.com), onde seu nome continua honrosamente listado até a presente data.

A partir de 2002, gravou outros discos e mixou outras tournes com Djavan e e em 2005 criou o Incrivel Mundo das Mixes e Masters, studio particular onde mixa e masteriza CD’s (stereo), DVD’s (surround) e músicas avulsas (singles) para distribuição online, para artistas de gravadora e independentes.

Em 2007, Enrico masterizou o álbum Matizes de Djavan no Incrível Mundo e em 2010 foi engenheiro de gravação, mixagem e masterização do álbum Aria, do mesmo cantor. Com este último, Enrico ganhou seu segundo Grammy, em 2011. Enrico também foi responsável pela mixagem do PA da Tour Aria, fazendo shows durante mais de um ano nas Américas do Sul e do Norte.

Enrico também trabalhou ao vivo ou em estúdio com nomes como Ana Carolina, Jorge Vercillo, Max Viana, Ed Motta, Gal Costa, Blitz, Marina, Cássia Elller, Frejat, Orlando Morais, Al Jareau, Simone, Alcione, Gabriel Pensador, Titãs, Black Rio, Batacotô, Zero, Bena Lobo, Zizi Possi, Luiza Possi, Dudu Falcão, Big Joe Manfra, Titi Walther, o diretor musical Andre Baptista nos filmes Pequenas Historias (Marieta Severo e Patricia Pillar) e O Segredo dos Diamantes (Matheus Abreu e Rui Rezende), e Stanley Jordan no album indicado para o GRAMMY 2009, State of Nature, entre outros. E mixou ao vivo o maior show do planeta : o desfile das Escolas de Samba no Carnaval do Rio de Janeiro.

Desde o ano 2000, Enrico é colunista da maior publicação de áudio e música do Brasil : a revista Audio, Música & Tecnologia, assinando mensalmente na última página o Lugar da Verdade.

Um pouco da história do Engenheiro de Música

Publicado em Palestrante

Mapa